150 de vida: o que os profissionais acham da mudança em Black Ops 4

150 de vida: o que os profissionais acham da mudança em Black Ops 4

26 de Outubro, 2018 0 Por Maximilian Rox

Mais vida aos jogadores. A Treyarch trouxe, em Call of Duty: Black Ops 4, uma mudança que foi cercada de discussões entre os fãs de longa data: agora temos uma barra de vida com 150 pontos, um valor que subiu dos 100 pontos tradicionais e impactou diretamente na troca de tiros entre os jogadores.

Na ocasião do anúncio dessa novidade, David Vonderhaar, diretor da Treyarch, reforçou por meio do seu Twitter que a mudança “dá mais espaço para ajustar o dano à distância e nos locais do corpo com mais fidelidade”, permitindo também mais “táticas na seleção dos tiros”. Isso também foi reforçado em uma postagem no Reddit por toda a equipe de desenvolvimento, revelando que o grande foco era aprimorar a parte que eles consideram mais divertida em Call of Duty: os combates.

Mas o que isso impactou nas primeiras semanas de jogatina entre os fãs? Conversei com alguns jogadores profissionais brasileiros para saber como essa mudança está influenciando dentro do campo de batalha e se realmente estamos trabalhando com combates mais táticos.

“Achei muito melhor”, apontou o suporte da Virtue Gaming, Leonardo “Scarz” Henrique. “Agora tem como você pegar mais informação antes de tirar gunfight, pode usar mais essa mecânica para ‘baitar’ pro seu time, e fora que dá pra fazer muito clutch com isso”, completa.

O trabalho em equipe também foi um dos destaques do Main AR da Avalanche Gaming, Julio “JHustleR” Emrich. “Eu gostei muito, acho que deu outra dinâmica pro jogo, jogar com seu time ficou bem mais importante.”

O narrador e sócio da Ichor Gaming, Filipe “Archz” Santos, completa a opinião. “Achei prudente, aumenta o tempo de reação e reduz a chance dos players que tem mania de dar o flank te matarem facilmente pelas costas e você nem ao menos conseguir reagir.”

Maior reação traz novas situações de risco que os jogadores devem tomar cuidado. Gabriel “GDihlz” Dihl, da 4LF4 Team, lembrou que trocar tiros com alguém atrás de uma cobertura pode ser prejudicial  —  principalmente porque você precisa dar mais tiros para finalizar o oponente e isso acaba como uma situação ruim para o seu lado.

E a regeneração manual de vida pode entrar bem no meio de toda a jogada. Nesse ponto, Archz falou que isso deixou os tiroteios mais técnicos e a gameplay mais complexa. “Antes era bem simples, no meio da gunfight quando acabavam as balas você se escondia e recarregava a arma ao mesmo tempo que sua vida se regenerava. Mas agora você precisa escolher o que quer fazer primeiro.”

Gunfights e mudanças

Entre tiro, porrada e bomba, os fãs precisam prestar atenção a outros detalhes que mudaram com o aumento de vida. “Acho que eu só senti mais a diferença quando bato uma gunfight contra a ICR-7 por ela ter double grip, não ter recoil e mata muito rápido de longa e média distância. E que a ICR-7, pra mim, é a única que eu só morro muito rápido [hahaha]. Às vezes também a Saug, mas a ICR está muito OP”, explica Scarz.

“Demora um pouco mais [pra matar], mas você se acostuma bem rápido”, completa JHustleR. “Acho que está valorizando as armas que estão fortes como a ICR e a Maddox, mas todas estão utilizáveis.”

Nesse ponto vale lembrar que, na última quarta-feira (24), a Treyarch revelou que está trabalhando em uma série de ajustes nas armas com base em dados coletados desde o lançamento. Essas mudanças são planejadas para chegar ao jogo na semana que vem e podem ditar a dinâmica que os jogadores encontrarão nos próximos meses do cenário competitivo — juntamente com as regras do circuito profissional que foram divulgadas ainda nessa sexta-feira (26).

Por fim, Archz passou algumas recomendações para trabalhar melhor contra a vida maior dos oponentes e a sua regeneração rápida. “Itens que aumentem a quantidade de balas no pente da arma bem como que facilitem na hora de recarregar pra mim são essenciais ao menos até você pegar bem o feeling do jogo.”

“Por conta da vida maior você tem duas opções: melhorar sua pontaria, o que leva mais tempo, ou usar esse tipo de item na arma para aumentar o número de balas no pente e assim conseguir ser mais efetivo nas kills no curto prazo”, finaliza o narrador.

E a opinião da comunidade?

Enquanto levantava esse ponto entre os jogadores profissionais, perguntei no Twitter qual era a opinião de outros jogadores. Eis algumas das respostas:

E você? O que achou dessa mudança? Sentiu que o estilo agressivo e rushando kill atrás de kill ficou mais difícil? Ou se acostumou com o gameplay mais tático e defensivo? Deixe seu comentário!